topo_site_geomarcos

PERGUNTAS

 


1. RADIESTESIA

2. GEOBIOLOGIA

3. ONDAS DE FORMA

4. ÁGUA SUBTERRÂNEA

5. ASSUNTOS ENIGMÁTICOS

6. ASSUNTOS DIVERSOS

7. BATE PAPO

 

 

TEMA 1: RADIESTESIA


12. UM CURSO DE RADIESTESIA EM POJUCA NA BAHIA: SERIA MUITO BOM PASSAR UNS DIAS LÁ!


11. A UTILIZAÇÃO DA RÉGUA BOVIS


10. PERGUNTA SOBRE A UTILIZAÇÃO DO RELÓGIO RADIESTÉSICO E MONTAGEM DE GRÁFICOS


9. PERGUNTA DE OSVALDO SOBRE A UTILIZAÇÃO DA RADIESTESIA


8. RESPONDENDO SOBRE IMPREGNAÇÃO DE ENERGIAS EM PÊNDULOS DE CRISTAL


7. RESPONDENDO MENSAGEM SOBRE RADIESTESIA E UTILIZAÇÃO DE GRAFICOS – pergunta enviada à ABRAD – Associação Brasileira de Radiestesia e Radiônica


6. PERGUNTA SOBRE A UTILIZAÇÃO DO RELÓGIO RADIESTÉSICO E MONTAGEM DE GRÁFICOS


5. PERGUNTA DE ANA MARIA SOBRE CURSO DE RADIESTESIA.


4. PERGUNTA SOBRE A INTERAÇÃO DA RADIESTESIA COM A FÍSICA QUÂNTICA


3. PERGUNTA DE ANTÔNIO VALDIR SOBRE RADIESTESIA PARA A ABRAD


2. RESPONDENDO SOBRE IMPREGNAÇÃO DE ENERGIAS EM PÊNDULOS DE CRISTAL


1. PERGUNTAS SÔBRE O FUNCIONAMENTO DO PÊNDULO ENVIADAS PARA A ABRAD E RESPONDIDAS POR MIM. PODE SER ÚTIL PARA OUTRAS PESSOAS QUE TÊM DÚVIDAS SEMELHANTES. SÃO MUITAS RESPOSTAS QUE PODEM SER RESPONDIDAS À MESMA QUESTÃO. OPTEI POR ESSA PELA MINHA EXPERIÊNCIA E VISÃO PRÓPRIA.

 

 

TEMA 2: GEOBIOLOGIA

39. ANÁLISE GEOBIOLÓGICA À DISTÂNCIA DE DOIS SÍTIOS CONJUGADOS: COM RADIAÇÃO IONIZANTE E ZONA TECTÔNICA.

38. PERGUNTA SOBRE LOCAL DE TRABALHO COM PROBLEMAS GEOBIOLÓGICOS. NA VERDADE O LOCAL DE TRABALHO E RESIDÊNCIA ESTÃO EQUILIBRADOS BIOTICAMENTE, MAS O RAPAZ É QUE ESTÁ COM PROBLEMAS ESPIRITUAIS.

37. TRABALHO DE GEOBIOLOGIA REALIZADO EM UMA RESIDÊNCIA E O QUESTIONAMENTO DE DISPOR O MEU TRABALHO COM PREÇO MAIS RAZOÁVEL PARA UM NÚMERO MAIOR DE PESSOAS QUE NÃO PODEM ARCAR COM AS DESPESAS.

36. DÚVIDAS NA ESCOLHA DE UMA NOVA RESIDÊNCIA. DECIDIR É DIFÍCIL. UMA LUTA DA CONVENIÊNCIA COM O CORAÇÃO


35. TRABALHO DE GEOBIOLOGIA EM LOCAL COM GÁS RADÔNIO. INDAGAÇÕES SOBRE O POR QUÊ DE EU NÃO INDICAR QUE ABRISSEM JANELAS. BOAS QUESTÕES! NÃO É COMUM AS PESSOAS DISTINGUIREM ENTRE RADIAÇÃO ALFA E/OU BETA DA RADIAÇÃO GAMA, ELETROMAGNÉTICA


34. ANÁLISE GEOBIOLÓGICA EM RESIDÊNCIA À DISTÂNCIA. UM ANO DEPOIS NOVA CONSULTA E UM NOVO MOTIVO ESTAVA ACONTECENDO: PROBLEMAS ESPIRITUAIS


33. PERGUNTA DE PESQUISADORA DA ARTE DA RADIESTESIA E DA GEOBIOLOGIA: TER DÚVIDAS E RECONHECER QUE AS TÊM É O COMEÇO, É O FIM E É O MEIO. LEVAR EM CONTA OS MEIOS PARA SE CHEGAR AOS FINS, EIS O COMEÇO!


32. PROBLEMAS GEOBIOLÓGICOS EM UMA RESIDÊNCIA. ANALISADA POR ALGUNS RADIESTESISTAS


31. GEOBIOLOGIA NA RESIDÊNCIA DO MARCOS E MUITA CONVERSA FILOSÓFICA E DE EXPANSÃO DO MENTE


30. PERGUNTA COMPLEXA SOBRE PROBLEMAS GEOBIOLÓGICOS E PESSOAIS: LONGA CONVERSA SOBRE ASSUNTOS VARIADOS: FÍSICOS, VITAIS E ABSTRATOS


29. ANÁLISE DE RESIDÊNCIA PARA COMPRA. COMPLEXA PROBLEMÁTICA ENTRE LOCAIS E PESSOAS


28. ARQUITETA QUE TEM INTERESSE EM SE ESPECIALIZAR EM GEOBIOLOGIA


27. PERGUNTA DE ISABEL, DO PORTO – PORTUGAL, SOBRE RADIESTESIA À DISTÂNCIA


26. CARTA ENVIADA AO JORNAL O TEMPO


25. PERGUNTA SOBRE APLICAÇÃO DA GEOBIOLOGIA: EXPLICAÇÕES DO POR QUÊ?  DAS DIFICULDADES DE SE ALUGAR UM IMÓVEL!


24. RELATÓRIO DE ANÁLISE GEOBIOLÓGICA DA RESIDÊNCIA DO SR. JUAN E DA SRA. MARTA – BUENOS AIRES – ARGENTINA


23. TRABALHO DE GEOBIOLOGIA À DISTÂNCIA EM APARTAMENTOS


22. PERGUNTA DE CATARINA PARA A ABRAD SOBRE MORADIA EM LOCAL COM RADIAÇÕES NOCIVAS


21. ENTREVISTA NA TV CÂMARA DE OSASCO SOBRE GEOBIOLOGIA COM O GEÓLOGO MARCOS A. ALMEIDA


20. PERGUNTA DE ADRIANA SOBRE A REALIZAÇÃO DE TRABALHO DE GEOBIOLOGIA À DISTÂNCIA E COMO TER CERTEZA QUE DE FATO FOI REALIZADO ESSE TIPO DE TRABALHO?


19. PERGUNTAS DE DANILO PULGA PARA O SEU PAI SOBRE GEOBIOLOGIA PARA UMA PALESTRA EM RIO POMBA – MG


18. PERGUNTA DE UM CASAL SOBRE SAÚDE MENTAL DEVIDO À RADIOATIVIDADE IONIZANTE EM SUA RESIDÊNCIA


17. PERGUNTA SOBRE A REALIZAÇÃO DE UM CURSO DE GEOBIOLOGIA EM VIÇOSA – MG


16. PERGUNTA DE LUIZA SOBRE APLICAÇÃO DE GEOBIOLOGIA À DISTANCIA SEM O CONSENTIMENTO DA PESSOA


15. PESQUISAS COM VEGATEST E PERGUNTA SOBRE A REALIZAÇÃO DE TRABALHO À DISTÂNCIA EM PLANTAS DE IMÓVEIS


14. PERGUNTA DE DANIELLE SOBRE CURSOS DE RADIESTESIA E GEOBIOLOGIA PARA A ABRAD


13. MEU TEXTO MAIS COPIADO, AO PÉ DA LETRA, POR SITES DE GEOBIOLOGIA E RADIESTESIA


12. PERGUNTA DE HUMBERTO SOBRE AS INFLUÊNCIAS DE UM LOCAL EM SUA VIDA


11. PERGUNTA DE ADRIANA, QUE FEZ UM EXAME COM VEGATEST, SOBRE O REEQUILÍBRIO DO LOCAL DE MORADIA PELA GEOBIOLOGIA


10. PERGUNTA DE ANTÔNIO DE TIANGUÁ–CE SOBRE UMA ANÁLISE GEOBIOLÓGICA DE UM SÍTIO


9. PERGUNTA DE JAIME SOBRE UM CURSO DE GEOBIOLOGIA PARA RADIESTESISTAS COM PRÁTICA


8. PERGUNTA DE NEUZA SOBRE ÁGUA ENERGIZADA – ABRAD


7. PERGUNTA SOBRE LEVANTAMENTO GEOBIOLÓGICO EM UMA RESIDÊNCIA EM SABARÁ (MG)


6. PERGUNTA SOBRE GEOBIOLOGIA NO LOCAL DE TRABALHO


5. CARTA À ASSOCIAÇÃO AGRÍCOLA DE HOLAMBRA: GEOBIOLOGIA APLICADA ÀS PLANTAÇÕES


4. CARTA ENVIADA À ASSOCIAÇÃO DE CAVALOS PURO SANGUE INGLÊS E OUTRAS RAÇAS


3. PERGUNTA DE GILMAR PARA ABRAD
ANÁLISE GEOBIOLÓGICA DE UM APARTAMENTO À DISTÂNCIA


2. PERGUNTA SOBRE CURSO DE RADIESTESIA


1. PERGUNTA DE ANÁLISE GEOBIOLÓGICA EM UM APARTAMENTO. PREOCUPAÇÃO MAIOR COM O CUSTO DO QUE COM A SAÚDE. NÓS CHEGAMOS A ESSA FILOSOFIA DE PERMANENTE “SOBRE-VIVÊNCIA”

 

 

TEMA 3: ONDAS DE FORMAS


3. PERGUNTA DE PAULO SOBRE ONDAS DE FORMAS: O QUE É VERDE NEGATIVO E VERDE POSITIVO?


2. PERGUNTA SOBRE A UTILIZAÇÃO DO DISCO EQUATORIAL DE JEAN DE LA FOYE COM TRÊS AGULHAS


1. ONDAS MICROVIBRATÓRIAS E FORÇAS INVISÍVEIS

 

 

TEMA 4: ÁGUA SUBTERRÂNEA

 

8. BUSCA DE ÁGUA SUBTERRÂNEA COM A VARINHA EM “Y”. PERGUNTA SOBRE SE O GALHO DE GOIABEIRA FUNCIONA MESMO


7. BUSCA DE ÁGUA SUBTERRÂNEA À DISTÂNCIA ATRAVÉS DA IMAGEM DO GOOGLE EARTH. ESPERAM QUE SE TENHA ÁGUA EM TERRENOS PEQUENOS. ESPERAM QUE AS FRATURAS ESTEJAM LÁ COM MUITA ÁGUA. O QUE NEM SEMPRE ACONTECE. MUITO PELO CONTRÁRIO, É EXTREMAMENTE DIFÍCIL.

 

6. PEDIDO PARA SE REALIZAR UMA PESQUISA DE ÁGUA SUBTERRÂNEA COM A APLICAÇÃO DA RADIESTESIA PARA INDICAR UM LOCAL PARA PERFURAÇÃO DE POÇO ARTESIANO NA BACIA DE TAUBATÉ.

 

5. UTILIZAÇÃO DA RADIESTESIA PARA LOCALIZAÇÃO DE LOCAL PARA PERFURAÇÃO DE POÇO ARTESIANO: UM GRANDE RISCO SE NÃO SE SABE O QUE SE ESTÁ FAZENDO. É PRECISO MUITA PRÁTICA E CONHECIMENTO GEOLÓGICO DO LOCAL E DE GEOLOGIA ESTRUTURAL

 

4. ESCLARECIMENTO SOBRE ÁGUA SUBTERRÂNEA EM SÍTIO: TODO CUIDADO É POUCO, CASO CONTRÁRIO A PERFURAÇÃO DE UM POÇO CUSTA MAIS QUE O PRÓPRIO SÍTIO

 

3. RESPONDENDO A QUESTÃO DO ARTHUR QUE QUER SABER SE EXISTE UM EQUIPAMENTO OU EMPRESA QUE "GARANTA" O MELHOR LUGAR PARA FURAR.

 

2. GEOHIDROLOGIA: A BUSCA DE ÁGUA SUBTERRÂNEA POTÁVEL/MINERAL



1. PERGUNTA INTERESSANTE SOBRE PESQUISA DE ÁGUA SUBTERRÂNEA EM UM CONDOMÍNIO. O COMUM ENTRE AS PESSOAS É QUE ELAS QUEREM UMA GARANTIA NA PESQUISA, POIS JULGAM QUE ESTÃO INVESTINDO O SEU DINHEIRO E QUEREM UM RETORNO COM CERTEZA.

 

 

 

TEMA 5: ASSUNTOS ENIGMÁTICOS

4. VIAJANDO NA MAYONESE: H2O TRANSCENDENTAL – A Engenharia Dimensional do Universo
Viajando além da maYonese: TRADUÇÃO DE UM PERGAMINHO ETÍOPE


3. FELIZ 2010 - O ENÍGMA DO UNIVERSO: DECIFRE-ME OU TE
DEVORO!


2. QUESTÕES LEVANTADAS SOBRE O TEMA: O INÍGMA DO UNIVERSO: DECIFRE-ME OU TE DEVORO – SOBRE TEXTO ESCRITO NO BLOG ANTERIORMENTE: VEJA!


1. SOBRE A FORMA DE ATUAR NO NOVO ANO 2010: GEOBIOLOGIA E BIOARQUITETURA

 

 

 

TEMA 6 – ASSUNTOS DIVERSOS

7. UTILIZAÇÃO DA RÉPLICA DA PIRÂMIDE DE KEOPS SEM O DEVIDO CONHECIMENTO


6. PERGUNTAS E RESPOSTAS E INDICAÇÕES DE POSSÍVEIS SOLUÇÕES E AÇÕES DIVERSAS: GEOBIOLÓGICAS, PSICOLÓGICAS E ABSTRATAS.


5. PERGUNTA SOBRE OS CAMPOS ELÉTRICO E MAGNÉTICO.


4. CASAL DISCORDANDO SOBRE A MUDANÇA PARA UMA NOVA CASA: ESPOSA QUER MUDAR E O MARIDO NÃO QUER, POIS NÃO GOSTOU DA CASA.


3. PERGUNTA DE MURILO, MEU SOBRINHO, SOBRE GEOMETRIA DE PROPORÇÕES HARMÔNICAS.


2. PERGUNTA SOBRE CORPOS SUTIS E CHAKRAS. COMO PROTEGER-SE DE ENERGIAS ABSTRATAS NEGATIVAS DE PESSOAS QUE PROCURAM AJUDA.


1. PERGUNTAS SOBRE CHAKRAS E CORPOS SUTIS.

 

 

 

 

TEMA 7 – BATE PAPO

A finalidade deste Site é divulgar um conhecimento importante para o desenvolvimento pessoal.

A radiestesia se fundamenta na percepção e sensibilidade às radiações.

Aprender radiestesia é aprender a lidar com nós mesmos.

Somos seres que percebem as anomalias vindas do meio exterior, tanto as benéficas como as maléficas.

Nesse sentido estudar radiestesia é estudar os seres vivos, principalmente nós mesmos.

Mas para estudarmos a nossa complexidade como seres humanos precisamos utilizar métodos adequados para captarmos nossas reações, bem como dos animais e de todos os seres vivos.

Os métodos são experimentais, baseados em comparações. Nesse sentido precisamos utilizar um método científico baseado em observações e testes comparativos.

Por exemplo: Podemos acompanhar as alterações em uma maçã, com o passar do tempo.

Para medir a maçã sadia, podemos utilizar a radiestesia e a régua de Bovis. Inicialmente a maçã tem uma medida de comprimento de onda da ordem de 7.000 unidades Bovis.

Após 5 dias, por exemplo, realizamos nova medida com a régua de Bovis: indica 6.500 unid. Bovis.

Isto significa que está acelerando o processo de alteração da maçã. Ela está tendendo à desagregação, pois à medida que diminue o comprimento de onda, emitido pela maçã, aumenta a freqüência (o comprimento de onda diminue com o aumento da freqüência, são inversamente proporcionais).

Mais cinco dias, novas medidas: 5.000 unid. Bovis.

A aceleração de desagregação da maçã está aumentando mais rápido. Nessa fase a maçã começa a mostrar manchas escuras, indicando apodrecimento de partes.

Mais cinco dias, a medida encontra-se em 2.000 unid. Bovis. Houve uma enorme aceleração de desagregação da maçã. Agora a maçã está mole, com a maioria das partes apresentando manchas pretas, encontra-se quase que completamente apodrecida.

Entenderam? Esse é o sistema de aprendizado.

Utiliza-se a radiestesia como instrumento de medição, ou seja, o nosso organismo biológico é capaz de captar a evolução de desagregação da maçã, que é outro organismo vivo, vegetal, à semelhança de nós, como seres vivos.

Observa-se que o “objeto” observado, no caso a maçã, sofreu uma evolução em seu processo de apodrecimento, desde o estado sadio até o final.

Aprendemos com a própria observação. Esse é um dos métodos científicos, utilizados pelas ciências naturalistas.

É importante fazer as anotações para comparar, posteriormente, com o estudo de outras frutas ou vegetais.

Aos poucos vamos complicando as observações, não só de um aspecto, mas de vários, simultaneamente.

Quando vamos estudar um ser humano, por exemplo, podemos não só estudar a emissão de energia do corpo como um todo, como partes separadamente, como avaliar as energias emitidas pelo fígado, rins, etc...

Para isso é necessário utilizar pranchas desses órgãos, um testemunho da pessoa (como um cabelo, por exemplo). E utilizar vários gráficos de medição.

Nesse sentido você está utilizando uma somatória de observações para se dar um diagnóstico adequado do estado de saúde da pessoa.

Não é assim que trabalha a medicina. É comum, nós todos, passarmos por vários exames clínicos, para se ter uma idéia mais detalhada do nosso complexo organismo.
A radiestesia é um instrumento auxiliar nessas observações.  A utilizamos na fase microvibratória, ainda não observada nos exames químicos.

Esse é o trabalho do geobiólogo, que observa as anomalias microvibratórias emitidas pelos locais, antes das pessoas ficarem doentes.

Essa vibrações emitidas pelos locais são de muito pouca quantidade, débeis, não captáveis pelos instrumentos de medição criados pelos homens.

Nesse sentido, a radiestesia é um instrumento biológico captando anomalias que afetam seres biológicos.

Nós mesmos, como instrumentos de medições, avaliamos os efeitos que afetam os seres vivos, à semelhança,  como nós.

É uma medição relativa e os instrumentos de medição utilizados pela ciência são absolutos.

Dão um valor, indicado por um mostrador. Comparativamente, chegam a um resultado, que determinada medida significa um determinado problema.
Por isso é necessário fazer muitas medições para diminuir as influências de fatores externos ao problema.

Como por exemplo: utilizo um magnetômetro, para ver o campo magnético de uma casa. No entanto, como é um instrumento que mede o absoluto, ou seja, o que tiver emitindo. Se houver uma instalação elétrica anômala, o magnetômetro pode indicar um valor.

O pesquisador, então diz: que o local tem uma anomalia muito alta, magnética, e que pode (“pode”) afetar as pessoas.

Mas, também pode ter um cano enferrujado no chão, que está fazendo o aparelho indicar um valor mais alto do que o previsto.

Como o pesquisador não está vendo o cano enferrujado, enterrado na terra, não consegue dar o diagnóstico correto, pois o magnetômetro não seleciona o que observa, pois é uma máquina que mede o absoluto. E se tiver várias influências secundárias, ele vai captar todas.

Enquanto que nós, seres bioreceptores, pois reagimos com o meio, captamos exatamente aquilo que pode estar afetando os seres humanos, em questão.

Enquanto que o magnetômetro pode estar captando um valor alto de emissão magnética, no entanto, ele não indica se aquele valor alto pode afetar uma pessoa ou não.

O magnetômetro não analisa as conseqüências, ele dá um valor e pronto.

Daí a ciência utilizar a estatística: mundialmente falando, esse valor emitido pelo magnetômetro, em várias estatísticas realizadas na Europa, durante dez anos, mostrou que algumas pessoas foram afetadas pelas anomalias magnéticas, mas alegam que nada indica que de fato foram essas anomalias que adoeceram as pessoas. Nada prova com certeza. Viu!

Porquê a ciência age assim?

É necessário uma pesquisa constante, durante um tempo determinado, com controles rigorosos de observação. Pessoas diferentes, comem comidas diferentes, algumas fumam, outras bebem, umas praticam esportes, outras não, são sedentárias. Cada uma vai se comportar de forma diferente, perante o mesmo problema. Por isso é difícil concluir que de fato foi a anomalia estudada que afetou as pessoas.

Já que não tem um aparelho que indica diretamente nas pessoas que foi a alta tensão que a afetou, não podem concluir com toda a certeza. A análise é indireta, aparelhos absolutos não dão diagnósticos diretamente sobre as pessoas, aparelhos biológicos.

Por exemplo: a alta tensão pode causar câncer em crianças, que moram num raio de 200 metros próximas à alta tensão. Em estudo de dez anos, mostraram evidências de que a alta tensão causou leucemia em crianças.

Mas no final concluem: nada prova, com certeza, que de fato foi a alta tensão que causaram os problemas nas crianças.

Por isso, um aparelho biológico, que somos nós mesmos, através da radiestesia, vai analisar os efeitos que afetam as pessoas, que são biológicas. Viu!

Vide o artigo que escrevi em MATÉRIAS: “A radiestesia como uma ciência aplicada à geobiologia”.

Aprender radiestesia é aprender a perceber as nossas próprias reações ao meio ambiente.  Abraços, Marcos.

WEBDESIGN:  sandragober@uol.com.br
Copyright © 2008 - Todos os direitos reservados - All rights reserved